BLOG DA MARLENE

Aqui quero fazer um espaço de boa comunicação com meus amigos leitores. Seja bem vindo!

sexta-feira, 19 de junho de 2015

SEMEANDO A PAZ...

Olhando em frente a minha casa, vejo sementes que estouram das árvores e caem na rua, o incrível é que algumas vezes as encontrei dentro de casa, tal a força que as impelem.   Penso nas sementes da Paz, elas foram lançadas com a mesma força e fizeram um papel grandioso. 
Nomes como:
Nelson Mandela - Grande guerreiro negro, 
Martin Luther King - Pela Paz e Igualdade, 
Mahatma Gandhi - Usando o Pacifismo como arma; e muitos outros, que usando a inteligência e a humildade, deixaram como legado a Paz. 
Muito recentemente Malala Yousafsai, a paquistanesa vencedora do prêmio Nobel da Paz em 2014, com apenas 17 anos deu ao mundo a maior lição de luta pela Paz, desafiou os radicais islâmicos do talibã por querer estudar e foi gravemente ferida. 
Não basta olhar o infinito todos os dias e respirar a Paz, é preciso cultivá-la dentro de nós, superar nossas dores, desacelerar nossas angústias, vestir o nosso maior sorriso  e arrastar para dentro de nós tudo que é precioso e nos faça bem. Esta é a lição de Malala, é a vontade de viver, mesmo que já tenhamos morrido um pouco ou muito, aqui ou ali, pelo caminho. Quando nos despimos do nosso egoísmo, de nossas queixas e de nossas incertezas, vemos claramente o ideal comum que nos une.   Muito interessante o  que conta Marcelo Xavier em Andarilhos" O mundo cão se agitou com a notícia trazida pelo jornal do dia:  Encontrados três bebês em um cesto atrás da igreja, seus nomes- Ego, Dúvida e Queixa, são tão estranhos quanto seu jeito diferente de latir;
                                                ---Eu!  Eu!  Eu! ---late Ego.
                                                ---Ou! Ou! Ou! ---late a Dúvida.
                                                ---Ai!  Ai!  Ai!  ---late Queixa.
Ele então conta o drama de todos os moradores, que correram para ajudar os filhotes, mas ninguém queria levá-los para casa. Quem se arriscaria, vendo aqueles nomes esquisitos pendurados no pescoço deles, acompanhados ainda daquele latido estranho?     Trata-se de uma alegoria pertinente, pois aquele que se tranca no seu egoísmo deixa de plantar a semente da Paz, deixa de cumprir o seu real destino. 
Tudo tão simples no mundo: a cumplicidade da terra, algumas sementes, água e o milagre acontece!  Não se faz necessário buscar coisas fantásticas, é o cotidiano...Em breve chegará  a florada, as abelhas e o mundo  de todos os dias.   
Rubem Alves nos mostra em "O Amor que Acende a Lua" o quanto nos desconhecemos, quantas atitudes tomamos que nos surpreendem, elas podem ser positivas ou não, mas nossa essência é  divina. No mundo atual Malala nos deixou um exemplo extraordinário, que jamais será esquecido. 
Assim, passo a passo vamos descruzar os braços, plantar a semente, nos dar as mãos, e aí se estenderá a bandeira branca da Paz.

Marlene Campos Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário